Será verdade que um culto evangélico terminou num verdadeira briga generalizada, após um pastor dizer que cobraria o dízimo, em relação ao saque de R$ 500,00 do FGTS? Bem, foi isso que a página “Nordestino Gaiato“, no Facebook, disseminou recentemente numa determinada publicação. Nela havia somente um vídeo e a seguinte frase, ipsis litteris:

O culto tava indo bem até o pastor falar que os 500 do FGTS também entra no dízimo

Não havia indicações, por exemplo, de onde e quando a pancadaria vista no vídeo aconteceu. Ainda assim, o vídeo já foi assistido mais de 330 mil vezes e obteve cerca de7 mil compartilhamentos desde o dia 14 de setembro de 2019!

Entretanto, será que estamos realmente diante de um culto evangélico? Essa briga generalizada ocorreu no Brasil? Qual a verdade por trás desse vídeo? Descubra agora, aqui, no E-Farsas!

Verdadeiro ou Falso?

Fora de Contexto! O vídeo foi retirado de seu contexto original, ou seja, não estamos diante de um culto evangélico, a pancadaria não aconteceu no Brasil e nem foi por motivação financeira.

Na verdade, o vídeo retrata uma situação lamentável, de cunho político, ocorrida na República Dominicana – um país da América Central – no dia 27 de janeiro de 2013. Na manhã desse dia aconteceu uma reunião do Comitê Executivo Nacional do Partido Revolucionário Dominicano (PRD).

Nessa reunião, ocorrida na sede do partido político, houve um confronto direto entre facções rivais do próprio partido. Tais facções eram compostas por apoiadores de Hipólito Mejía (ex-presidente da República Dominicana) e Miguel Vargas (ex-ministro de Obras Públicas e Comunicação durante o governo de Mejía), sendo que o objetivo era controle político do PRD.

Como consequência, pelo menos oito pessoas ficaram feridas, embora inicialmente a imprensa dominicana tenha relatado uma morte. Entre os feridos havia um câmera do canal Telemicro, sendo que seis pessoas foram baleadas. Enfim, realmente lamentável.

Como Tudo Isso Começou?

O clima de instabilidade começou no dia 14 de janeiro daquele ano, quando a cúpula diretiva do PRD decidiu expulsar Mejía e seu presidente em exercício, Andrés Bautista, assim como suspender o secretário geral, Orlando Jorge Mera, e a secretária de organização, Geanilda Vásquez (algumas fontes alegam que cerca de mil membros tinham sido sumariamente desfiliados). Posteriormente, os apoiadores de Mejía realizaram uma comissão política na qual declararam nula a decisão da liderança do PRD, coordenada pelo então presidente em exercício, Miguel Vargas, e adiantaram sua intenção de convocar uma convenção nacional para o mês de julho.

Nesse contexto, Vargas decidiu convocar, antecipadamente, uma reunião do Comitê Executivo Nacional. O objetivo? Resolver a crise política no PRD, que ameaçava deixar o governo de Danilo Medina sem oposição real. Diga-se de passagem, Danilo Medina continua sendo o presidente da República Dominicana. Ele ocupa o cargo desde 2012!

O Clima Esquentou

Por volta da 9h da manhã, do dia 27 de janeiro daquele ano, data na qual a reunião foi marcada, apoiadores de Hipólito Mejía se reuniram nos portões da Casa Nacional do PRD, localizada na capital dominicana, Santo Domingo. Os apoiadores de Mejía pularam o cordão de segurança criado por duas fileiras de cercas e aproximadamente 500 policiais, que cercavam a sede do partido desde o dia anterior, antecipando a possibilidade de brigas durante a reunião do Comitê Executivo Nacional.

O resultado vocês podem perceber em diversos vídeos que foram divulgados nas redes sociais. Eis alguns exemplos:

Pedras e cadeiras plásticas foram usadas como armas entre os apoiadores, sendo que tiros também foram disparados com o objetivo de dispersar uma multidão ensandecida.

Segundo o site “Bohechio Digital”, cerca de 2.000 cadeiras tinham sido alugadas pelo PRD, a um custo de 25 mil pesos (aproximadamente R$ 2.000 pela cotação atual). Dessas duas mil cadeiras, somente 10 sobreviveram. Equipamentos e tendas montadas também ficaram destruídas. O prejuízo total, que podia superar 1,4 milhão de pesos (cerca de R$ 115.000), não se limitou a sede do partido. Alguns comerciantes locais também foram afetados.

Era Possível Notar Facilmente que o Vídeo Havia Sido Tirado do seu Contexto Original?

Sim! Em primeiro lugar, existe uma grande marca d’água no vídeo, onde é possível ler “Noticias SIN”. Ao realizar uma rápida busca no Google é fácil descobrir que estamos diante de um veículo de comunicação da República Dominicana, ou seja, a probabilidade que fosse uma ocorrência no Brasil era muito baixa. Em segundo lugar, a página “Nordestino Gaiato“, no Facebook, é predominantemente humorística. Portanto, o contexto apresentado era novamente questionável.

Por outro lado, é importante destacar que o humor, infelizmente, também pode ser utilizado com o intuito de propagar, intencionalmente ou não, a desinformação entre a população (não estamos dizendo que seja esse o caso). É necessário ficar atento e ter bom senso na hora de compartilhar um material potencialmente e maliciosamente enganoso. Já fizemos uma matéria, em agosto deste ano, sobre uma charge relacionada ao FGTS altamente enganosa. Confira mais detalhes aqui.

Enfim! Para finalizar e sermos justos, esse vídeo já vinha tendo seu contexto distorcido há muito tempo. Numa rápida busca no Google, por exemplo, encontramos sites que utilizaram cenas desse vídeo para ilustrar falsamente suas notícias. Como exemplo, podemos citar os artigos publicados pelo site “MidiaMax” e do “Conselho Nacional de Teologia“.

Conclusão

Fora de Contexto! O vídeo foi retirado de seu contexto original, ou seja, não estamos diante de um culto evangélico, a pancadaria não aconteceu no Brasil e nem foi por motivação financeira. 

Na verdade, o vídeo retrata uma situação lamentável ocorrida na República Dominicana – um país da América Central – no dia 27 de janeiro de 2013. Na manhã desse dia aconteceu uma reunião do Comitê Executivo Nacional do Partido Revolucionário Dominicano (PRD). Nessa reunião, ocorrida na sede do partido, houve um confronto direto entre facções rivais do próprio partido, compostas por apoiadores de Hipólito Mejía (ex-presidente da República Dominicana) e Miguel Vargas (ex-ministro de Obras Públicas e Comunicação durante o governo de Mejía), sendo que o objetivo era o controle político do PRD.

Fonte: e-farsas

 

Deixe seu Comentário