No último fim de semana, entre 14 a 16/02, a Cáritas da Diocese de Caetité, realizou formação sobre a Campanha da Fraternidade (CF/2020). A atividade reuniu cerca de 90 pessoas no Centro de Treinamento de Líderes – CTL em Caetité, representantes de 37 das 38 paróquias da Diocese, das pastorais sociais, movimentos populares, universidades, entre outros, que se dedicaram a estudar coletivamente a proposta da Campanha para esse ano.

A CF é proposta anualmente pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) no período da Quaresma, busca ser promovida em uma perspectiva ecumênica e chamar atenção para o exercício da solidariedade e da mobilização por ações concretas frente a um problema que envolve a vida do povo brasileiro. A cada ano é escolhido um tema, que define a realidade a ser abordada, e um lema, que inspira o caminho para as ações conjuntas.

Esse ano o tema da CF é “Fraternidade e vida: Dom e compromisso”, e o Lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (cf. Lc 10,33-34). Seu objetivo geral é “conscientizar, à luz da Palavra de Deus, para o sentido da vida como Dom e Compromisso, que se traduz em relações de mútuo cuidado entre as pessoas, na família, na comunidade, na sociedade e no planeta, nossa casa comum” (Texto Base, pág. 19). O encontro de formação buscou envolver os participantes no compromisso de fortalecimento dos trabalhos pastorais, com os quais a CF dialoga.

No primeiro dia do estudo, após um momento de acolhida e mística, houve uma análise da realidade, dialogando com o Tema da CF e buscando identificar os principais fenômenos sociais que tem afetado a vida do povo e quais os grupos e sujeitos que se encontram em maior situação de vulnerabilidade frente a esses problemas, como a violência urbana e no campo, o adoecimento psíquico, o alcoolismo, o desemprego, a extrema pobreza, etc. Em seguida, foi transmitido o filme-documentário “Santa Dulce dos Pobres”.

No segundo dia, foi apresentado aos participantes uma síntese do Tema da CF/2020, que se encontra sistematizado no Texto Base, de acordo com o conhecido método “Ver, Julgar e Agir”. Essa parte do estudo iluminou os participantes no trabalho em grupos a pensarem propostas para a Diocese concretizar, a partir dos problemas apresentados e debatidos, ações que concretizem os objetivos da CF.

O terceiro e último dia de estudo, iniciado com uma Missa, foi dedicado a socialização das propostas dos grupos e posterior debate para organizar os encaminhamentos construídos, que foram: 1) Rodas de conversa sobre a Campanha da Fraternidade e temas afins; 2) Reforçar a coleta da Campanha para compor o Fundo Diocesano de Solidariedade – FDS, com objetivo de expandir o apoio aos projetos sociais; 3) Fortalecer a Escola Diocesana de Fé e Política; 4) Assumir a Jornada Mundial do Pobres, proposta pelo Papa Francisco, tornando-a conhecida e realizando o Mutirão da Solidariedade; 5) Criar a cultura da escuta, fortalecendo a Pastoral da Sobriedade, que fará um encontro nos dias 06 a 08 de março e 6) Tornar nossas Comunidades novas Comunidades, como lugar, casa de acolhida afetiva e solidária.

Segundo padre Osvaldino Barbosa, diretor da Cáritas Diocesana, “o encontro de estudo da CF a cada ano está mais forte e participativo, e a grande novidade desta Campanha é que não aumenta coisas a fazer, mas inspira a fazer com o olhar de Jesus misericordioso, o que já está sendo feito”.

O evento foi encerrado a partir do compromisso de todos/as os/as presentes em dar consequência as propostas e fortalecer a Campanha da Fraternidade na Igreja e no conjunto da sociedade, enquanto uma ferramenta de solidariedade e compromisso.

Fonte: PASCOM

Deixe seu Comentário