Bank of America Merrill Lynch, um dos grandes bancos americanos, reduziu nesta quinta-feira (dia 27) sua perspectiva de crescimento econômico para o Brasil em 2020 de 2,2% para 1,9%. É o primeiro grande banco a projetar uma alta do PIB (Produto Interno Bruto) abaixo da marca simbólica de 2%.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, e outras autoridades disseram que as reformas econômicas e as baixas taxas de juros fazem parte do caminho para um crescimento de mais de 2%. A reforma da Previdência foi aprovada em outubro passado, enquanto a administrativa e a tributária ainda não saíram do papel.

Mas vários indicadores dos últimos meses de 2019 mostraram uma economia mais fraca do que o esperado recentemente, algo que coloca o presidente Jair Bolsonaro em alerta quanto à sua popularidade.

Nos últimos dias, novas informações sobre a propagação do coronavírus, com impactos negativos sobre os resultados do setor privado, levaram diferentes bancos e consultorias a reduzir suas previsões para 2020 para um crescimento de pouco mais de 2%. A mediana das expectativas coletadas pelo Banco Central no último boletim Focus aponta para um crescimento de 2,20%. Um mês atrás, a estimativa média estava em 2,31%.

O que dizem os analistas do Bank of America? “O surto de coronavírus deve impactar negativamente as exportações. Dado o maior impacto esperado do vírus e os contínuos indicadores de atividade econômica sem sinal uniforme no Brasil, reduzimos nossa previsão em outros 30 pb (pontos-base)”, afirmaram os economistas do banco David Beker e Ana Madeira em relatório publicado nesta quinta-feira (dia 27).

A previsão oficial de crescimento do governo para 2020 permanece em 2,4%, embora o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, tenha dito que a equipe econômica está avaliando uma possível revisão.

Fonte: 6 Minutos

Deixe seu Comentário